PAUTA

A luta anti-racista através da arte

Artista plástico de Florianópolis fala sobre sua trajetória de respeito à cultura negra no centro da Capital

_MG_4233_edited.jpg

Foto: Coletivo Identidade urbana - Bruno Barbi ao lado de desenho no calçadão da Felipe Schmidt

 

“Um resgate histórico para a população negra, historicamente excluída dessa região do centro de Florianópolis”, é assim que o artista plástico Bruno Barbi define a motivação de seu trabalho: pintar personagens negros e negras em uma cidade que esconde a própria negritude.

Bruno conta que não é raro ser questionado sobre quem deu permissão para pintar, segundo ele, “existe uma preocupação maior com o patrimônio do que com as pessoas, ao invés de se interessar por quem é que eu estou pintando, qual o objetivo do meu trabalho”, o que define como inversão de valores.

Até o início da pandemia, ele também expunha na Feira Afro Artesanal, que ocorria todas as terças-feiras na Escadaria do Rosário. Sobre ser um artista branco que expõe em um espaço voltado para o afro-empreendedorismo, Bruno afirma que “desde 2011, quando eu entendi os tons da pele negra, as pessoas negras da cidade, as lideranças dos movimentos negros começaram a se sentir representados pela minha arte e me colocaram um compromisso de entender, contextualizar e me comprometer com o que estava fazendo” e completa: “a feira é de 2017, nesse momento meu trabalho já estava consolidado, já havia o acolhimento dos movimentos negros e a compreensão do meu trabalho. Aquele espaço é para o afro-empreendedorismo e também para a luta anti-racista, e essa luta é de todos nós”

A partir de junho deste ano, ele vai começar um trabalho de sistematização das restaurações de suas pinturas à convite dos movimentos da arte urbana, o que pra ele é o reconhecimento da sua trajetória até aqui. “Nos próximos meses, eu vou fazer todo restauro do meu circuito, com preparo, envernizado, com material de qualidade, como patrimônio da cidade”, finalizou.

_MG_4126_edited.jpg

Foto: Coletivo Identidade urbana - Pintura da vida à negritude da praça XV

_MG_4257_edited.jpg

Foto: Coletivo Identidade urbana - Artista Bruno Barbi explica sua história